...Que a luz veio ao mundo,
mas os homens amaram
mais as trevas que a luz...
João 3.19
Trago-vos um mandamento novo: AMAI-VOS UNS AOS OUTROS

quarta-feira, julho 05, 2006

O Sermão da Montanha(II)



O Sermão da Montanha é uma lâmina afiada dirigida ao íntimo de cada ser humano.
Nele, Jesus veio relançar e renovar uma visão da Palavra de Deus, que a interpretação humana tinha atrofiado e amordaçado.
Através dele, percebemos que a Palavra de Deus, do Génesis ao Apocalipse, tem por missão elevar a nossa existência, como seres humanos, a padrões verdadeiramente divinos de fé, justiça, obediência, perdão e amor.
Pelo Sermão da Montanha Jesus abre-nos a porta para que sejamos como Deus quer e como Deus é.
Ele eleva a função da Palavra em nós a níveis tão altos, que só podem ser entendidos e alcançados se o próprio Deus for o Senhor das nossas vidas.
O Sermão da Montanha desmascara ao mesmo tempo a “obediência” que não ama e o “amor” que não obedece.
Pelo Sermão da Montanha nós conseguimos ver o quanto o ser humano, e mesmo aqueles que se reclamam de “povo de Deus”, tem estado longe do querer e da influência de Cristo.
Meditemos neste texto chave.
Deixemos Deus tomar realmente posse da nossa vida e seremos “perfeitos, como é perfeito o nosso Pai Celestial.

O cristianismo não é uma filosofia, mas uma transformação radical da vida.

O Sermão da Montanha recoloca Deus na vida do ser humano, não como o Deus impositivo ou como uma entidade tirana e longínqua, mas pelo contrário, é Deus que se coloca ao dispor do ser humano para uma maravilhosa viagem até ao seu Reino Eterno.
É Deus que se dispõe a apropriar-se da nossa própria vida, para que, pela nossa sujeição a Ele, nós possamos atingir os patamares mais elevados de vida da própria divindade.
Estamos nós dispostos a dar tudo a Deus, para Dele receber tudo o que Ele nos tem para dar? (note que Ele só pede uma única coisa, ao mesmo tempo tão difícil e tão fácil de dar: o nosso próprio ser e coração.
Se formos sensatos, e tivermos a visão de uma vida pela fé, baseada na presença de Deus em nós, nada nos poderá tirar a vitória, pois construímos em Cristo os alicerces da nossa Salvação.
Se a nossa ambição espiritual for menos elevada do que isso, iludidos ou não, nada de bom teremos a receber como prémio.
in-(P.Coelho)
continua...

sábado, maio 27, 2006

O Sermão da Montanha


Começo por aqui porque:
O SERMÃO DA MONTANHA engloba na realidade toda a mensagem de Jesus, o Evangelho.
O Sermão da Montanha foi pregado num monte localizado na costa norte do mar da Galiléia, perto da cidade de Cafarnaum, no primeiro ano da Sua pregação aos homens.
O Sermão inicia-se com as nove Bem-Aventuranças, que contêm a Lei do Novo Testamento do renascimento espiritual. Em seguida fala sobre a influência positiva dos cristãos na sociedade e afirma que os ensinamentos de Cristo ao invés de abolir, complementam os dez Mandamentos do Antigo Testamento. Aqui Jesus ensina-nos a vencer a ira, a ser casto, a manter a nossa palavra quando é empenhada, a perdoar a todos, a amar mesmo os nossos inimigos e a empenhar-nos pelo nosso aperfeiçoamento espiritual.
Na parte seguinte do Seu Sermão, Jesus aponta a necessidade de aspirar à verdadeira rectidão, que, ao contrário da ostensiva rectidão dos judeus, está no coração dos homens.
Na última parte do Sermão da Montanha Jesus ensina-nos a não julgar os outros, a salvaguardar o que é sagrado da profanação e a sermos constantes nas boas acções. Finalmente, Jesus mostra-nos a diferença entre o caminho largo e o caminho estreito, adverte-nos contra os falsos profetas e explica-nos como devemos fortalecer-nos ao depararmos com as inevitáveis dificuldades da vida.
Jesus caracterizou o ensinamento que trouxe aos povos nas seguintes palavras: "O Céu e a terra passarão mas as Minhas palavras de forma nenhuma passarão." De fato, o Sermão da Montanha dá-nos a eterna verdade celestial, que é perene e que é igualmente aplicável a todos os povos independentemente da raça ou cultura. As condições de vida e os conceitos de moralidade das pessoas mudam no decorrer dos tempos mas as Leis de Deus são imutáveis. Por isso é que nós Cristãos, ao empenharmo-nos pela imortalidade da alma antes de qualquer coisa, temos que aceitar as leis eternas do bem, que estão no Sermão da Montanha, e a partir daí construir nossas vidas de acordo com as mesmas.


No próximo postal vamos abordar as palavras textuais do Sermão e reflectirmos sobre elas.

Um abraço do
Companheiro da Luz

terça-feira, maio 23, 2006

Abertura


...Que a luz veio ao mundo, mas os homens amaram mais as trevas que a luz...
João 3.19


Para milhões de pessoas, a vida parece não só sem significado, como até absurda. A ciência, a tecnologia, e mesmo a filosofia e a teologia, têm retratado os seres humanos como meros produto do acaso. à semelhança de órfãos, clamam do mais profundo da sua solidão e desespero:"Quem sou? Quem foram os meus ancestrais? Qual o sentido de tudo isto?
Muitos viram-se para a ciência à procura de respostas, focando enormes telescópios sobre o coração dos corpos celestes e perguntam:"Existe aí alguém que me conheça? Quem se interessa por mim?" Mas a ciência não tem respostas.
Certamente que a vida tem significado! Não estamos sozinhos no Universo. Nalgum lugar alguém cuida de nós! Alguém que se envolveu com a história humana; Jesus.
Gostaria que ao longo do tempo em que irei fazendo este blogue, meditássemos na sua mensagem de esperança deixada à humanidade; Sim, porque só o AMOR entre os homens nos pode trazer a paz e a felicidade que tanto almejamos. Vamos lá então.
Um abraço do
Companheiro da Luz